Prelo Machado de Assis

 
Uma das peças mais valiosas, e, por isso, mais admiradas, pelos visitantes. Nesta rudimentar impressora, trabalhou, como aprendiz de tipógrafo, o escritor Joaquim Maria Machado de Assis – fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras e, de forma unânime, considerado um dos maiores nomes da literatura brasileira.
 
Prelo Machado de Assis

Entre 1856 e 1858, o autor de “Memórias Póstumas de Brás Cubas” ingressou nos quadros da Imprensa Nacional (à época, Typographia Nacional). Foi o seu primeiro emprego, como aprendiz de tipógrafo. Posteriormente, regressou à Instituição para exercer a função de assistente do Diretor do Diário Oficial, de 1867 a 1874. Por decreto presidencial de 13 de janeiro de 1997, Machado de Assis recebe o título de Patrono da Imprensa Nacional.

Trata-se de uma impressora tipográfica manual de origem inglesa. Fabricada em ferro, possui alavanca de madeira. Na parte superior, dourada, ostenta uma águia dourada com asas abertas. Sua fabricação data de 1833, ano em que foi adquirida pela Imprensa Nacional, cuja sede era no Rio de Janeiro.

Funcionou durante 107 anos. Em 1940, foi desativada e, então, o prelo foi encaminhado ao acervo de bens da Imprensa Nacional, que deu origem ao Museu da Imprensa, criado em Brasília em 13 de maio de 1982.