Como pesquisar no jornal
Todos DOU - Seção 1 DOU - Seção 2 DOU - Seção 3
Exata Fonética
   /
Verificação de autenticidade
Todos DOU - Seção 1 DOU - Seção 2 DOU - Seção 3
   /
Verificação de autenticidade
Todos DOU - Seção 1 DOU - Seção 2 DOU - Seção 3
   /
Verificação de autenticidade
Todos Anvisa PPA PRF Orçamento da União
   /
Verificação de autenticidade
Você está aqui: Página Inicial > Notícias > DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO COMPLETA 151 ANOS DE CIRCULAÇÃO

General

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO COMPLETA 151 ANOS DE CIRCULAÇÃO

Uma solenidade na área industrial da Imprensa Nacional e anúncios de página inteira (foto) lembraram a passagem dos 151 anos de circulação ininterrupta do Diário Oficial da União, comemorados neste 1° de outubro. O evento, presidido pelo diretor-geral Fernando Tolentino, contou ainda com a presença do coordenador-geral da Copa no DF Sérgio Graça, representando o secretário extraordinário do GDF Cláudio Monteiro; da gerente da agência AGU da Caixa Econômica Federal, Juliana Nogueira Saraiva, e do presidente da Associação dos Servidores da Imprensa Nacional, Humberto Borges de Sousa, além do convidado especial Sebastião Guedes Braga.

1º de outubro de 2013

O ponto alto da festividade foi a reverência da Imprensa Nacional à memória dos servidores Sandra Lucia Garcia Braga e José Sancho, falecidos, respectivamente, em 2003 e 2004, período conturbado da história da instituição. Num primeiro momento, Fernando Tolentino na presença de Sebastião Guedes Braga — que foi marido de Sandra Lúcia — assinou a portaria nº 165, que confere  à impressora offset Solna 125 o nome  Sandra Lucia Garcia Braga  e  à impressora offset Multilith 1850 o nome José Sancho. Em seguida, Tolentino e Sebastião descerraram a placa de homenagem. O mesmo aconteceu quando a placa exibindo o nome de José Sancho foi exposta ao público, ato celebrado pelo diretor-geral,  Denise Guerra e Francisco Pereira.

 Ao receber uma réplica da placa, Sebastião Braga disse que  “Sandra, de onde ela está, sente-se, com certeza, muito gratificada à Imprensa Nacional e aos amigos, por esta homenagem”.

 “Há dez anos, que eu pensava em presidir essa homenagem”, acentuou Tolentino, que disse ter conhecido Sandra Lúcia em 8 de março de 2003, por ocasião de solenidade alusiva ao Dia da Mulher, logo após sua posse, Contou que recebeu um abraço emocionado da servidora, após ter transmitido mensagem sobre a nova Imprensa Nacional. Ela era um dos servidores sobreviventes da fatídica Operação Desmonte.

 Tolentino lembrou ainda do espírito combativo e da retidão de José Sancho, cujos familiares, residentes no Rio, não puderam comparecer à homenagem, mas enviaram uma mensagem de agradecimento.

Dirigindo-se aos servidores da área gráfica, Tolentino observou que a memória dos dois servidores estará a partir de hoje materializada “no convívio de vocês” nestas máquinas, que passam a pertencer ao acervo do Museu da Imprensa. E acentuou que a homenagem é extensiva a todos os servidores, sobretudo àqueles que de 2000 a 2002 lutaram contra a política “de menos Governo no Estado”, situação que levou à perspectiva de fechamento da Imprensa Nacional.

 DOU E MOEDA – Sobre o Diário Oficial da União, o diretor-geral comentou que a publicação  “e a moeda, pelo meio circulante, são os dois produtos mais importantes do Governo Federal”. Explicou que cabe ao DOU publicar “as normas de convívio da sociedade e as normas de funcionamento do Estado”.

 HOMENAGEADOS

Sandra foi servidora da Imprensa Nacional de 28 de janeiro de 1988 a 3 de outubro de 2003. Nasceu em Luz, Minas Gerais, em 14 de junho de 1954. Formada em  Pedagogia, ingressou por meio de concurso público na Imprensa Nacional. Trabalhou, com afinco, nas áreas de aposentadoria e pensões e de arquivo. Faleceu em 4 de outubro de 2003, aqui em Brasília.

 José Sancho era monotipista durante a sua vida ativa. Servidor extremamente atuante e reivindicativo, era conhecido como Marreta, justamente por editar um jornal com esse nome, no qual inclusive destilava críticas mordazes aos desvios que identificava na Administração da Imprensa Nacional. Ingressou na Casa em 18 de junho de 1943 no cargo de artífice de artes gráficas e se aposentou em 17 de agosto de 1982. Faleceu em 8 de outubro de 2004, no Rio de Janeiro.